A Bienal acontece de 16 a 27 de outubro em Fortaleza e mais cinco cidades cearenses. Toda a programação tem acesso gratuito

Em 2019, a Bienal Internacional de Dança do Ceará celebra 22 anos de existência. Considerada um dos mais importantes eventos de dança da América do Sul, chega à sua 12ª edição, celebrando as múltiplas formas de se fazer dança na atualidade. Na programação, espetáculos em teatros e espaços alternativos, além de shows, performances e festas em suas concorridas Fringes. A Bienal acontece de 16 a 27 de outubro em Fortaleza e mais cinco cidades cearenses -Trairi (18 e 19/10), Quixadá (24 e 25/10), Pacatuba (25/10), Itapipoca (25 e 26/10) e Paracuru (25 e 26/10). Do Brasil, são mais de 25 espetáculos e artistas do Ceará e 11 de mais seis estados. A Bienal recebe ainda sete atrações internacionais de cinco países. Toda a programação tem acesso gratuito.

Esta edição festeja alguns acontecimentos relevantes para a dança, tanto mundial quanto local: os 10 anos da morte de Pina Bausch, o centenário de Merce Cunningham, os 20 anos do Colégio de Dança do Ceará e os 30 anos da Cia da Arte Andanças. A XII Bienal Internacional de Dança do Ceará é uma realização da Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania – Governo Federal, da Indústria da Dança e da Proarte, com apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, via Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811 – Mecenato Estadual). Apoio: Instituto Iracema. Agradecimentos: Enel.

ABERTURA – A abertura será no dia 16, às 19h, no Theatro José de Alencar, com Lia Rodrigues Cia de Danças, do Rio de Janeiro, apresentando “Fúria”. Criação de Lia Rodrigues, com dramaturgia de Silvia Soter, o espetáculo estreou em 2018 na França. Na festa de abertura das Finges, no Órbita Bar, a atração é Mc Tha, que une funk e umbanda, pista e fé, e em seu primeiro álbum “Rito de passá” vem lotando casas de show no Brasil.

Além do Theatro José de Alencar e Órbita Bar, a Bienal de Dança terá programação em espaços diversos do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Porto Dragão, Cena 15, Cineteatro São Luiz, Vila das Artes, Galpão da Vila, Centro Cultural Bom Jardim, Cuca Mondubim e Poço da Draga.

Confira programação no Theatro José de Alencar:

Dia 16/10 – Quarta-Feira

20h – Abertura da XII Bienal Internacional de Dança do Ceará – Espetáculo “Fúria”, Lia Rodrigues Companhia de Danças (RJ)
Local: Palco Principal
Entrada: Gratuito, distribuição de convite
Classificação Indicativa: 18 anos
Duração: 70 min
Como espiar o tempo em um mundo dominado por uma infinidade de imagens contrastantes – medonhas e belas, sombrias e luminosas – atravessadas por uma infinidade de perguntas não respondidas e perpassadas por contradições e paradoxos? Como espiar o tempo em um mundo de fúria? Como dar visibilidade e voz ao que está invisível e silenciado?

Dia 17/10 – Quinta-Feira

20h – Espetáculo “Como você se sente agora?”, 20 anos do Colégio de Dança do Ceará (CE)
Local: Palco Principal
Entrada: gratuito
Classificação Indicativa: Livre
Duração: 50 minutos
20 anos é o tempo que nos separa e nos une, incessantemente, entre uma margem e outra dos rios que correm em nossa vidas. Como dimensionar o tempo? E como dimensionar o tempo de um artista? São muitos os universos, os desejos e os tempos. Em quais momentos a poética e os afetos se revelam diante dos encontros?

Dia 18/10 – Sexta-Feira

21h – Espetáculo “Empty Floor”, da imPerfect Dancers Company (Itália)
Local: Palco Principal
Entrada: Gratuita
Classificação Indicativa: livre
Duração: 63 minutos
Empty Floor nasce do desejo de explorar o universo oculto e privado de todos aqueles que enfrentam diariamente a doença de Alzheimer. O objetivo é sensibilizar o público sobre os diferentes aspectos da doença, combatendo os mais dolorosos e engraçados e, assim, mostrando a força e a alegria de viver por trás do embaraço do desconforto. Tudo começou na Gala Internacional da Dança de Stuttgart, uma festa de angariação de fundos para a luta contra a doença de Alzheimer, para a qual “Istante” foi criado. Este trabalho lançou as bases para o espetáculo “Empty Floor” do qual colaboramos com a Associação Italiana de Alzheimer de Pisa (A.I.M.A).

Dia 19/10 – Sábado

18h – Espetáculo “Ruína”, Espetáculo de Conclusão da III turma do Curso de Iniciação em Dança Contemporânea – CIDC – Direção Henrique Castro
Local: Palco Principal

Entrada: Gratuita,  lugares limitados
Classificação Indicativa: 16 anos
Duração: 45 minutos

Dia 22/10 – Terça-Feira

14h – Movimentar CE: Espetáculo “Mulata”, Cia Dita (CE)
Local: Foyer,  limitado a 70 lugares
Entrada: gratuita
Classificação Indicativa: livre
Duração: 60 minutos
O trabalho marcou o ano de comemorações dos 50 anos da bailarina cearense Wilemara Barros, ganhando narrativa com corpo e voz da artista que esmiuçou sua trajetória de 40 anos de dança, em 2014. Wilemara começou a dançar em uma época regida pelo modelo europeu como estética a ser seguida. Desacreditada por seu primeiro professor quando criança, seguiu transformando-se ao longo de quatro décadas em uma mestra da técnica clássica, criando uma carreira significativa no cenário da dança cearense/ brasileira. Mulata é sobre a delicadeza das percepções menos visíveis.

16h – Movimentar CE: Espetáculo “233 A, 720 Khalos”, Valéria Pinheiro da Cia Vatá (CE)

Local: Palco Principal
Entrada: gratuita, limitado a 70 lugares
Classificação Indicativa: livre
Duração: 55 minutos
Um território, um endereço fixo e várias histórias vestidas de dores e alegrias. O acúmulo de perdas e sonhos desenfreados na mente e no coração. No encontro apaixonado com algumas referências, sobretudo mulheres e em especial Frida Khalo, surge o interesse pela resiliência, como forma de andar e como modo de existir. Que corpo é capaz de suportar tanta dor, e ainda assim seguir? Um corpo- labirinto, capaz de habitar com seus medos, de cantar para eles, de colocar-se diante do abismo. Eis aqui uma mulher que refaz suas trilhas, e que segue tatuada de cicatrizes. Um corpo fragmentado e cheio de dores, um corpo que demarca todos as trajetórias. Um corpo que parece pedir para parar. Mas, ainda assim, um corpo que insiste em dançar!

Dia 23/10 – Quarta-Feira

21h – [Dança] XII Bienal Internacional de Dança do Ceará – Espetáculo “Relações”, Curitiba Cia de Dança (PR)
Local: Palco Principal
Entrada: gratuita
Classificação Indicativa: 12 anos
Duração: 60 minutos
Com coreografia do carioca Carlos Laertes, espetáculo aborda os tipos de relacionamentos no mundo contemporâneo A montagem busca as motivações cotidianas dos relacionamentos para mostrar vigor e ousadia em um espetáculo que retrata infidelidade, decepções, dependência emocional e todas as outras circunstâncias que podem tornar tóxicas as relações. A apresentação, que é dividida em duas partes, explora também a investigação coreográfica das relações influenciadas pelo mundo digital e contemporâneo.

Dia 25/10 – Sexta-Feira

21h – [Dança] XII Bienal Internacional de Dança do Ceará – São Paulo Companhia de Dança (SP) apresenta: “Petrichor”, de Thiago Bordin; “A Morte do Cisne”, de Lars Van Cauwenbergh; “VAI”, de Shamel Pitts. 
Local: Palco Principal
Entrada: gratuita
Classificação Indicativa: livre
“Petrichor”: Primeira criação de Thiago Bordin para uma companhia brasileira, Petrichor – nome que remete ao cheiro da terra molhada pela chuva – teve como ponto de partida a música de Jóhann Jóhannsson e Wim Mertens, que, segundo Bordin, permite um vislumbre da criação coreográfica. “A Morte do Cisne”: O balé criado em 1907 por Fokine para Anna Pavlova é um solo emocionante, que dialoga com as sonoridades da harpa e do violoncelo, inspirado no poema de Alfred Tennyson (1809-1892) e nos movimentos dos cisnes em seus últimos instantes de vida .“VAI”: Com o título ,Vai, a coreografia de Shamel Pitts busca trabalhar com os muitos significados que esta palavra pode carregar: a expressão do futuro ou acontecimentos inevitáveis. É uma declaração, um nome. Nesta obra, o coreógrafo pesquisará as muitas identidades que constroem nossa sociedade, em termos de movimentos e linguagens.