Biblioteca Carlos Câmara

Carlos Torres Câmara, fortalezense nascido em 03/05/1881, foi um escritor de peças de teatro, advogado e jornalista. Teve grande destaque na dramaturgia cearense por ter fundado o Grêmio Dramático Familiar em 1918 e ter produzido as peças mais populares nos teatros de Fortaleza no começo do século XX. Carlos Câmara foi uma das mais vigorosas expressões da comédia cearense de todos os tempos. Suas peças teatrais continham uma crítica de costumes sobre a sociedade cearense da época. O texto e os ensaios eram elaborados de tal forma irreverente que cativava o público de forma bastante popular. Ele levou a molecagem cearense para os palcos. Pioneiro na prática do merchandising ele improvisava cenários e cortinas com tecidos de “A Pernambucana” e compunha, como no “Casamento de Peraldiana”, canções que eram verdadeiros jingles das lojas que davam apoio as suas propostas. Carlos Câmara faleceu em Fortaleza em 11/03/1939.  

A biblioteca com seu nome é especializada em artes dos espetáculos, e possui um acervo de mais de 2.000 exemplares divididos entre livros e textos, revistas, vídeos, CDs, e DVDs. O espaço tem parceria com a Coordenadoria de Política do Livro e da Leitura (COPLA) da Secult, informatizada com o Programa Biblioteca Livre (Biblivre), software para catalogação e difusão de acervos de bibliotecas públicas e privadas, e um sistema de empréstimo para professores e estudantes de artes cênicas cadastrados.