Quantas experiências um espetáculo pode nos proporcionar? Para além de uma narrativa bem construída e exímias atuações, que universos também se fazem presentes ao longo de todo o processo, que se inicia ainda na escolha de um autor e segue na leitura dos textos, na escolha dos figurinos, nos ensaios e, por fim, a abertura das cortinas?

Na cartilha do Grupo Imagens, uma constante busca por existir e, acima de tudo, resistir tem sido a mola propulsora desse caminhar. Ao longo de duas décadas no cenário artístico cearense, inúmeras parcerias foram se firmando e uma delas tem seu local especial: a fotografia. “A nossa ideia era comemorar esses 20 anos de uma outra maneira, mas o tempo está pedindo uma outra narrativa nesse momento”, confessa o diretor Edson Cândido.

Como forma de homenagear os profissionais da fotografia que passaram até agora pelo coletivo, a exposição virtual “Imagens: 20 de Resistência” apresenta um total de 28 registros de cinco fotógrafos – Galba Nogueira, Levy Mota, Sol Coêlho (em memória), Tim Oliveira e Willian Ferreira – que colocam em primeiro plano as seguintes montagens do grupo: “A Mancha Roxa”, “Barrela”, “Dois Perdidos Numa Noite Suja”, “Dr. Qorpo”, “Navalha na Carne”, “O Abajur Lilás” e “Quando as Máquinas Param”.

Cada espetáculo, de acordo com o diretor, emerge a partir de uma ampla pesquisa etnográfica, seja pelas obras do ‘maldito’ Plínio Marcos, seja pelos experimentos de Nelson Rodrigues, o francês Jean Genet, entre outros dramaturgos. “Como o nosso trabalho é de etnografia cênica, a gente vai à rua (também cabarés, presídios, etc), coleta as informações e os fotógrafos, nesse caso, vão junto acompanhando. Então alguns faziam os bastidores, outros fotografavam os espetáculos”, explica Edson Cândido.

Sol Coêlho, assim, surge na mostra “Imagens: 20 Anos de Resistência” com quatro registros para a peça “Dr. Qorpo”. “(O estilista) Dami Cruz também ia entrar nas homenagens, só que não tem como fazer nesse formato virtual. Mas ele fez alguns figurinos pra gente que foram, inclusive, premiados fora do Estado”, resume. “Não era só convidar, eles se apegavam muito ao nosso trabalho e acompanhavam todo o processo. Claro que tinha a coisa da contratação, mas eles fizeram muito um trabalho de parceria com a gente”.

“Imagens: 20 Anos de Resistência”, em resumo, é um convite ao espectador para adentrar ao processo criativo que, ao longo de sua jornada, alinhava as pesquisas do Grupo Imagens de Teatro. Rostos, expressões, momentos que traduzem para além de uma imagem.